TEMPOS MELHORES ESTÃO POR VIR!

Secretaria de Turismo do Estado promove turismo entre as cidades da Baixada Santista

Com o Roda SP, turistas podem conhecer até oito municípios com um ingresso de R$ 10,00

Quem descer a Serra do Mar nessa temporada e visitar a Baixada Santista terá a oportunidade de, em um dia, conhecer várias cidades do Litoral Sul por apenas R$ 10. Entre 15 de dezembro e 5 de fevereiro, os ônibus turísticos do Projeto Roda SP darão essa chance a quem estiver aproveitando as praias dos oito municípios da Costa entre Bertioga e Peruíbe.

Com uma única passagem, o viajante ganhará uma pulseirinha, válida para ser usada por dois dias seguidos, e poderá escolher entre as rotas Amarela, Azul, Laranja, Rosa, Roxa, Vermelha e Verde e visitar pontos turísticos da região através do programa. As linhas passam por Peruíbe, Mongaguá, Itanhaém, Praia Grande, São Vicente, Santos, Guarujá e Bertioga.

“O Roda SP vai muito além de um city-tour comum. O turista pode pegar um ônibus no Guarujá, descer em São Vicente e almoçar na Ilha Porchat. Depois, pegar um outro ônibus e passar o fim da tarde no Gonzaga, em Santos. É um produto turístico extremamente útil e barato, que facilita o passeio dos viajantes e redistribui o fluxo de pessoas entre as cidades vizinhas”, explica o secretário de turismo do Estado de Sâo Paulo, Márcio França.

Na opinião do Presidente do PSB de Itanhaém, Marcelo Strama, a iniciativa da Secretaria de Turismo do Estado contribuirá de forma significativa para o desenvolvimento do turismo da Cidade. “O Rota SP permitirá que aumente o número de turistas em Itanhaém. Desta forma, a economia na cidade ficará mais ativa, aumentando a movimentação na rede hoteleira e no comércio local”.

Os pontos turísticos de Itanhaém farão parte das rotas Rosa e Verde. No caminho, os passageiros poderão conhecer a Igreja Matriz Sant’anna, onde está o Monumento Anchieta, e também poderão descer na Cama de Anchieta e na Praia de Cibratel

Segue a descrição das rotas. Você encontra um resumo no site www.turismo.sp.gov.br;

Rota Amarela – Funcionará todos os dias, com saídas programadas de 45 em 45 minutos, das 9h às 16h45. O itinerário começa em São Vicente, na Biquinha, passando pelo teleférico da cidade, onde haverá a opção do viajante conhecer o Monumento de Niemeyer, na Ilha Porchat. Chegando a Santos, os passageiros poderão descer na praia do Gonzaga, próxima à praça das Bandeiras. O ônibus ainda passará pelo Áquario da cidade e finalizará o trajeto na Balsa que leva ao Guarujá, na Ponta da Praia.

Rota Azul – Também parte da Biquinha, em São Vicente, rumo à Praia Grande. Lá, os turistas poderão conhecer as praias do Canto do Forte, do Boqueirão e de Ocian, passando pela Praça Duque de Caxias, pela Praça da Paz e pela Estátua de Netuno, respectivamente. Essa linha funcionará às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, com saídas de 1h em 1h, das 9h às 17h.

Rota Laranja – Sai da Praia de Ocian, na Praia Grande. Chegando a Mongaguá, os ônibus passarão pela Praia Central, que dá acesso ao Poço das Antas, pela Feira das Artes e pela Plataforma Marítima de Pesca Amadora, junto ao Parque Ecológico “ Tribuna”. Este percurso estará disponível às segundas, quartas-feiras e aos sábados, com saídas a cada 1h10, das 9h às 17h10.

Rota Rosa – Parte da Plataforma Marítima de Pesca Amadora, junto ao Parque Ecológico “A Tribuna”, indo em direção a Itanhaém. Neste município os viajantes do ônibus poderão conhecer a Igreja Matriz Sant’anna, onde está o Monumento Anchieta, e também poderão descer na Cama de Anchieta e na Praia de Cibratel. Esta opção de linha funcionará às segundas, quartas-feiras e aos sábados, com saídas de 1h em 1h, das 9h às 16h.

Rota Roxa – Estará disponível às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, com saídas a cada 1h15, das 9h15 até às 16h45. Ela dará aos participantes a chance de conhecer pontos turísticos do Guarujá, saindo da balsa. Os viajantes poderão descer nas praias do Tombo, das Astúrias, das Pitangueiras, da Enseada (parando no Acqua Mundo e depois no Tortugas). Nesse momento, uma troca de ônibus acontecerá, continuando o trajeto pelas praias do Pernambuco, do Perequê e Branca, na divisa com Bertioga, finalizando o trajeto.

Rota Vermelha – Essa linha terá Bertioga como seu roteiro. Os ônibus sairão do Forte São João, na balsa que liga a cidade com Guarujá, passando pelo Sesc do município e terminando a viagem em Riviera de São Lourenço. Seu funcionamento acontecerá às terças, quintas, sextas-feiras e aos domingos, de 1h em 1h, das 9h às 17h.

Rota Verde – Ela parte da Praia do Cibratel, rumo a Peruíbe. O itinerário prevê passagens pelas Ruínas de Abarebebê, pela Praia Central e pelo Lamário. Esta linha estará disponível às segundas, quartas-feiras e aos sábados, a cada 1h15, das 9h às 16h30.

Cruzamento de Rotas:

A novidade nessa edição do Projeto é a integração dos caminhos por onde os ônibus passarão. Se, por exemplo, o viajante pegar a Rota Rosa, que parte de Mongaguá, ele terminará o percurso na Praia do Cibratel, em Itanhaém. Ao invés de voltar para o ponto de partida, ele poderá iniciar o trajeto da Rota Verde, cujo destino é Peruíbe, sem precisar comprar outra passagem. Confira os pontos de cruzamento:

Biquinha – São Vicente: Rotas Amarela e Azul

Balsa – Guarujá/Santos: Rotas Amarela e Roxa

Plataforma Marítima de Pesca Amadora – Mongaguá: Rotas Laranja e Rosa

Praia do Cibratel – Itanhaém: Rotas Rosa e Verde

Balsa – Bertioga/Guarujá: Rotas Roxa e Vermelha

Anúncios

3 Respostas para “Secretaria de Turismo do Estado promove turismo entre as cidades da Baixada Santista

  1. Otavio Demasi 07/12/2011 às 5:54 pm

    O Roda SP, cumpre uma ação regionalizada de a muito esperada para a região, embora sua abrangencia seja sazonal, mas refllete a necessidade de politicas públicas e ações da iniciativa privada, visando o receptivo nos nucleos receptores da região, ajudando tambem o meio-ambiente, pois um onibus cheio tira apelo menos 10 carros da estrada. Traz tambem uma integração entre os passageiros, que poderão no percurso trocarem ideias, alem de poderem visitar tudo, sem necessidade de pagar estacionamento. E um passo importante, a outros que devem ser implementados.
    Otavio Demasi- consultor de turismo;jornalista Mtb 3254PSD Itanhaem

  2. Otavio Demasi 07/12/2011 às 5:58 pm

    PEQUENOS ROTEIROS: BONS NEGÓCIOS
    Otavio Demasi consultor de turismo;jornalista

    Se vasculharmos os roteiros turísticos oferecidos, constata-se um vazio mercadológico: a maioria deixa os destinos de curta duração e baixa quilometragem à descobertos. Tal tendência está sendo revertida. Se
    tomarmos alguns indicadores como: populações concentradas nas grandes áreas metropolitanas do país; o número de pessoas da terceira idade e aposentados; a quantidade de pessoas que, mesmo possuindo habilitação para dirigir, tem medo de enfrentar estradas; as pessoas descasadas, viúvas e solteiras; as de faixa etária até 13 anos; as dificuldades econômicas para gastos mais altos; a tendência de viajar mais vezes foras das férias anuais, pede novas alternativas de roteiros.
    É preciso pois, quebrar tabus.
    O primeiro que roteiros de curta duração e baixa quilometragem são inevitáveis economicamente. Os mesmos não podem ser vistos como conceito de turismo social, ou como ações voltadas para os denominados “farofeiros”.
    O segundo que o público só quer excursões de média e longa duração, acoplados a médias e longas distancias.
    O terceiro: que para roteiros de pouca quilometragem os interessados vão por conta própria.
    Devemos atentar para a quantidade de pessoas que nos grandes feriados permanecem na cidade e poderiam ser conquistadas com programação diferenciada junto a hotéis, spas , parques temáticos entre outros.
    Devemos realizar levantamento de opinião, pesquisas concentradas em fábricas, escritórios, condomínios, faculdades, escolas, aéroportos, estações rodoviárias, postos de gasolina , etc e depois trabalhar os resultados e oferecer ao público , os destinos que foram indicados, com os preços mais justos. Imprescindíveis ações de parcerias no receptivo, envolvendo governo local, comunidade, empresários, fornecedores de serviços, juntamente com os agentes de viagens .
    Os caminhos da venda devem ser diferenciados, sendo tais excursões apresentadas e até comercializadas em super e hiper mercados, shopping centers, grandes shows, casas noturnas, faculdades, escolas, clubes, levando assim, o agente de viagem a esses locais de compras , lazer, entretenimento e cultura.. Esse vazio e ao mesmo tempo nicho, podem ser ocupados por “pool” de pequenas agencias , minimizandfo custos e ampliando horizontes.
    Outra possibilidade é o roteiro temático, que além de amarrar todas as opções de lazer, traz consigo atividades específicas ,de educação, treinamento, cultural, ambiental, científico, técnico, como por exemplo: esportes radicais, sáfari fotográficos, exploração de cavernas, mini spa, com mínimo de pernoites, tendo como possível alternativa de alojamento as propriedades rurais, onde a vivência do campo, mesmo perto dos grandes centros, com alimentação típica, sejam motivos de satisfação e aumento de vendas.

  3. Otavio Demasi 07/12/2011 às 6:02 pm

    TURISMO REGIONAL: O FATURAMENTO EM EQUIPE
    Otavio Demasi- consultor de turismo jornalista Mtb 32548

    A implantação e implementação do Turismo Regional passa por um forte processo de vontade política, contando com a participação da comunidade, iniciativa privada e governos, prosseguindo com uma ação macro de conscientização.

    A institucionalização pode ser em forma de: Agência Regional de Desenvolvimento Turístico; Câmara Regional de Turismo; Fundação; Convention and Visitors Bureau (Central de Captação de Eventos e Turistas); Empresa de Economia Mista; Núcleo de Turismo ou via Fórum de Desenvolvimento Turístico. O prioritário é o profissionalismo acima de tudo. Exige-se um diagnóstico profundo das vocações, potencialidades, sinalização, serviços, produtos, compras, entre outras. Estudo de roteiros diversificados que vão de encontro ao maior número de turistas potenciais e sejam factíveis aos mais diversos padrões econômicos a serem conquistados; levantamento e análises estatísticas que norteiem políticas públicas e privadas de desenvolvimento.
    • Pesquisa de mercado e de opinião que mostrem as políticas, táticas e estratégias para a comercialização regional.
    • Visar o aprimoramento dos serviços, criar uma política de preços real, incrementando o surgimento de Central de Compras para hotéis, agentes, transportadores, Central de Reservas, Central de Divulgação, Central de Captação de Eventos, entre outros.
    • Eleger o aspectos diferencial referencial de cada município, visando oferecer o máximo aos turistas, montar Calendário de Eventos solidário anual, com o propósito de atrair turistas e a região permanecer na mídia o ano inteiro, criar mecanismos de financiamento para os investimentos específicos.
    • Outros
    COMO OU ONDE ACONTECE O FATURAMENTO EM CONJUNTO?
    Todas ações cooperativas e ou em parceria, trazem reduções de custos, somam esforços, equipamentos, idéias e serviços, ampliando os horizontes e fortalecendo todos o grupo.
    • Conscientização: campanhas integradas , com menor custo, maior abrangência e mais retorno.
    • Treinamento: facilidade de concretização de centro de treinamento e ou de junção de esforços visando contratação de especialistas.
    • Equipamentos: utilização comum de equipamentos, máquinas, mormente na área de eventos, congressos, simpósios, feiras .
    • Folheteria: confecção de peças promocionais com maior tiragem e menores custos com maior variedade de opções .
    • Divulgação: Ações integradas sobre a mídia (rádio, jornal, televisão, revistas), ações de relações públicas (visitas, participação em eventos), mais volume de informações, matérias mais diversificadas, fotos variadas, etc.
    • Eventos: Utilização de prestadores de serviços regionais, bem como de equipamentos diversos, elaboração de calendário anual, que evite concorrência.
    • Roteiros: elaboração do maior numero de opções, para todos os gostos, idades e bolsos, o que fará aumentar o tempo de permanência.
    • Compras: definir se possível polo específico de comércio, evitando ao máximo a concorrência o que permite aumentar a oferta de produtos, evitando concorrência selvagem onde todos perdem; manter o comércio turístico aberto o ano todo . Pode-se implantar centros de compras, artesanato, gastronomia entre outros em forma de shopping.
    • Central de Compras: aglutinar na região os empresários de um mesmo ramo de atividade e realizar compras no atacado com preço final mais baixo.
    • Marketing: pesquisa macro, visando auscultar o público potencial em relação a região, obtendo redução de custos.
    • Produção Caseira: Incremento de vendas cooperativadas entre outros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: